Tráfico de aves silvestres gera multa milionária em Bauru (SP)

 Versão para impressão  

Sorocaba - Ações contra o tráfico de aves da fauna brasileira geraram multas de cerca de R$ 1 milhão nos três últimos dias no interior de São Paulo. Somente em uma operação em Bauru, no noroeste do Estado, nesta segunda-feira, 8, a Polícia Militar Ambiental apreendeu 244 pássaros silvestres e aplicou multas de R$ 812 mil. As aves estavam em uma casa, na Vila Industrial, onde funcionava um criatório irregular, segundo a polícia. Os ambientais encontraram 10 aves mortas em razão de maus-tratos. Gaiolas, bebedouros e comedouros estavam em péssimas condições de higiene.

Foi constatado o uso irregular de anilhas, indicando possível tráfico de aves. O proprietário do criadouro recebeu uma multa de R$ 50 mil pela falta de anilhas e de R$ 762 mil pelos maus-tratos dispensados às aves. Ele ainda vai responder a processo por crime ambiental. Os pássaros foram apreendidos e estão sendo examinados por veterinários.

De acordo com a Ambiental, aqueles que estiverem aptos a viver em liberdade serão imediatamente soltos em matas da região. Os demais passarão por readaptação à vida silvestre.

Litoral

Em Itanhaém, no litoral sul de São Paulo, uma ação do 3º Batalhão da Polícia Ambiental apreendeu 29 aves em cativeiro em uma residência, no Jardim Coronel, na periferia da cidade, nesta segunda-feira. Entre os espécimes estavam pássaros pouco ameaçados de extinção, mas com população decrescente na natureza, como canário-da-terra, pintassilgo e tico-tico-rei. Havia ainda periquitos e algumas aves exóticas - da fauna estrangeira.

Também foram apreendidos gaiolas-batedeiras, apitos e outros apetrechos para atrair e capturar os pássaros. O proprietário do imóvel foi multado em R$ 56,5 mil. Conforme a polícia, 16 aves apresentavam indícios de captura recente e foram soltas no Parque Estadual da Serra do Maro, Núcleo Curucutu. As demais foram levadas para os centros de pesquisa e triagem de animais silvestres de Cubatão e Lorena, onde devem passar por um processo de readaptação.

Interior

Em Presidente Prudente, a Polícia Ambiental recolheu 88 pássaros da fauna silvestre mantidos ilegalmente em residências da área urbana, neste fim de semana. As aves foram libertadas e as gaiolas, destruídas. Ao menos trinta pessoas vão responder por crimes ambientais. A soma das multas atingiu R$ 78,5 mil.

Durante operação em uma rinha, em São Roque, na tarde de sábado, 6, a Polícia Ambiental de Sorocaba apreendeu, além de 28 galos usados para brigas, dois pássaros trinca-ferro, aves canoras raras na natureza. Duas armas de caça foram recolhidas na propriedade. As onze pessoas que estavam no local foram levadas para a delegacia da Polícia Civil e autuadas por crime ambiental e maus tratos. Além de responder aos processos, elas terão de pagar uma multa total de R$ 48 mil.

 Versão para impressão  
Jornal Folha Vitória
Todos os direitos reservados © 2007-2016